terça-feira, 29 de setembro de 2009

Hip Hop - A Cultura Marginal


por Gabriel Barbosa Machado

“Paz, amor, união e diversão”, essa é a proposta do livro Hip Hop – A Cultura Marginal, que é, o tempo todo, fiel a história do hip hop no Brasil e no mundo.


Com uma linguagem jornalística das grandes reportagens, clara, doce, dinâmica, eficiente, coloquial e informativa, marcada por histórias singulares com uma riqueza de dados surpreendente.


Definitivamente é um livro que traz o retrato de uma cultura urbana, emergente das classes populares das metrópoles.


Uma verdadeira aula de hip hop, que já começa no título, nos fazendo questionar, que cultura é essa? Que marginal é esse?


É um livro gostoso de ler, com conteúdos específicos, poesias, histórias e curiosidades únicas. Um material que é com certeza um registro histórico-cultural, daquele que é o maior movimento social dos últimos 30 anos. Esta obra, contribui, inegavelmente para dar mais visibilidade a uma cultura que carrega em sua face, o olhar do preconceito, da ignorância, da desigualdade e da exclusão a partir daqueles que desconhecem, rotulam ou ignoram.


Afirmo que é louvável a produção das jornalistas que se lançaram a campo para registrar a voz de um movimento, ritmo e cultura, certificando que mesmo numa forma de deficiência a universidade ainda forma seres pensantes, que estão à frente na análise das manifestações culturais e fenômenos sociais, muito antes do que qualquer meio de comunicação.


Elas dizem assim, no capítulo inicial: “Vem ardendo, sangrando e machucando. É o berro que emana dos morros, guetos e favelas. Vem dos locais mais pobres, o grito desesperado de quem vem da periferia. Chega ao asfalto carregado de protesto, indignação, carência, vontade, luta e marginalidade”.


Para adentrar no mundo do hip hop e conhecer faces totalmente desconhecidas ou ignoradas da hiphoptude, o livro Hip Hop – A Cultura Marginal é um bom começo.

http://jessicabalbino.blogspot.com

Casa de Familia convida

No próximo fim de semana, dias 3 e 4 de outubro, a Casa de FamíliA está cheia de atividadesinteressante. Não deixe de prestigiar!

No sábado, dia 3:
Oficina de consumo consciente com Marcela e Pablo
Xepa - almoço - minhocário - compostagem - horta
Das 11h às 19h - Contribuição mínima de R$5 - almoço incluso!
Atenção: para participar, necessário preencher a ficha de inscrição (inscricao_oficina) em anexo e enviar para casadefamilia241@gmail.com
(vagas limitadas: 15 pessoas)

Ainda no sábado, dia 3...

Após a oficina, haverá uma festinha de confraternização com todos os participantes.
Quem quiser vir só para a festa, pediremos uma contribuição de R$2! Seja bem-vindo!
Festa! Discontecagem: anônimos da pista livre!!! das 19h às 0h

No domingo, dia 4:
Primeira aula curso de Filosofia "sem história"
um bate-papo com a filósofa Cátia Ardanuy! Participe!
às 17 horas - R$15 por aula ou R$50 para quem fizer o curso completo (4 aulas)
Atenção: para participar, necessário preencher a ficha de inscrição (inscricao_curso) em anexo e enviar paracasadefamilia241@gmail.com
(vagas limitadas: 15 pessoas)


ONDE??
CASDE FAMÍLIA
*espaço cultural recém-inaugurado na Júlio Conceição nº241, Vila Mathias.
Rua Júlio Conceição, 241 (paralela a Av. Ana Costa, na altura do Hospital São Lucas, próximo à R. Carvalho de Mendonça)
casadefamilia241@gmail.com  // tel.: (13) 3326-1455


Para saber mais e ver a programação completa da casa, acesse:

http://casadefamilia241.blogspot.com/
www.twitter.com/casadefamilia
www.myspace.com/490047070
www.flickr.com/casadefamilia

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A escritora Iracema Ananias leva literatura a moradores de rua, em Santos

Os moradores de rua que frequentam a Associação Prato de Sopa Monsenhor Moreira terão na segunda-feira (28), às 9h30, encontro com a geóloga e escritora Iracema Ananias, que desenvolverá atividades de leitura, integrando o projeto de Leitura, Interpretação e Produção de Textos, criado por Mahelen Madureira. A autora abordará a obra adulta de Monteiro Lobato, como ‘Urupês’, ‘Negrinha’ e ‘Cidades Mortas’.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Vamos

Onde estás indo? Nesse ritmo não deve ir longe
Assisto a tudo exercitando a paciência como um monge
Confesso que não tenho conseguido
Nunca fui bom em exercícios
Reparei que estas crescendo...e muito
Será que caberá nesta ilha seus sonhos
Será que sobrará espaço para os meus?
Nesta queda de braço quem vencerá você?...eu?
Sinceramente não sei...mais não vou sucumbir
Caso raro é me ver desisitir
Te acompanhar? Não...não...muito obrigado
Prefiro olhar de fora...nessa batalha já escolhi meu lado
A quem muito é oferecido... muito será cobrado
Ontem te vi de novo....no meio do povo
Falavas alto sufocando a todos
Quando não...rindo a toa
Apostando o futuro no cara ou coroa
O tempo ta passando...
O caos aumentando..a paciência acabando
Seus filhos sendo esquecidos
Pra você o jogo já ta ganho
Pra nós perdido....por isso continuas rindo
Quero ver quando o resultado for invertido
Aonde encontrarás abrigo??
Minha casamata eu já ergui
Com as pedras que colocastes em meu caminho para eu tropeçar e cair
Ainda existe uma chance de mudar os rumos
Construirmos pontes ao invés de muros
Mais nessas horas se faz de surdo mudo
Pena enxergar isso como absurdo
Prefere continuar no seu mundo
Vendo todos e tudo como adversários
Seu verdadeiro amigo é seu sujo salário
Só não esqueça que isso também será seu calvário
Quem ri por ultimo é melhor?
Não...chorar por ultimo é que será bem pior!

Tubarão

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Cine Tam Tam


O novo projeto da ONG propiciará à população, uma vez por mês, a exibição de filmes de arte, convivência humana, inclusão, entre outros temas 
Como parte das comemorações de 20 anos da Associação Projeto Tam Tam e os 22 do Orgone Grupo de Arte, será inaugurado mais um projeto no Espaço Sociocultural Café Teatro Rolidei, nesta quarta-feira, dia 23, às 19 horas: o 'Cine Tam Tam – Encontro de Amigos'.
Uma vez por mês, a ONG oportunizará para toda população, gratuitamente, filmes de arte, sobre assuntos da convivência humana, inclusão, entre outros, promovendo encontros, bate-papos e conversas sobre os temas. A primeira apresentação será do filme italiano 'Vermelho como o céu', que fala da saga de um garoto cego durante os anos 70. A programação desta quarta-feira, dia 23, faz parte da 'Semana da Juventude'. A entrada é gratuita.
Sinopse 'Vermelho como o céu' – O filme narra a saga de Mirco Mencacci, uma garoto cego durante os anos 70. Ele luta contra tudo e todos para alcançar seus sonhos e sua liberdade. É um jovem toscano de dez anos apaixonado por cinema, que perde a visão após um acidente. Uma vez que a escola pública não o aceitou como uma criança normal, é enviado para um instituto de deficientes visuais em Gênova. Lá, descobre um velho gravador e passa a criar histórias sonoras. É baseado na história real de Mirco Mencacci, um renomado editor de som da indústria cinematográfica italiana.

Associação Projeto Tam Tam
www.tamtam.art.br

sábado, 19 de setembro de 2009

Falando nisso...


clique na imagem para ampliar

Mano Brown


"Se o final for feliz
não os perdoaram sabe
vamu fugi desse lugar Baby
nas ilhas do sul fuga de alcatraz vem vê
nas Marginais como Bone e Clyde vê
antes que acendam a luzes da ribalta
olhares se cruzem acusem minha falta
no auge da festa na alta eu
mó guela mó, mó vela
longe sem brisa naquela
sem mais mil uma noite seqüela eu
também fui vexame meu tsunami é seu
esse meu mundo infame
a chapelandia não vê
não entende a discórdia
eu quero é liberdade não misericórdia
agora se quiser vem se não quer vem (eu Vou)
assalto do trem pagador
dos malotes de amor
e felicidade dádiva que meu Deus deixou vamô
antes que venha o ataque
e nos queime na praça igual a Joana Dark
um dia entre nós esse som e a saudade
era uma vez
de um tempo em que éramos reis
de quando o campinho era um palco zica
e o crime era um passo do Michael
aos trancos barracos e barrancos debate
loko as 2 horas esperando o resgate
mar proibido e um mal compreendido
e um amor bandido em um outro nível
se for possível."

Extraido da música "Dance dance" de Seu Jorge, Pixote e Mano Brown

Link para baixar o som :

F.I.N.O. - Qu4rto Mundo


Depois de 2 anos de trampo, FINO, representante da zona sul de SP, agora tem seu disco chegando nas ruas via Material Corrosivo.

QUARTO MUNDO, é um disco, baseado de forma própria, na trilogia do autor Herman Hesse (Sidarta, O Lobo da Estepe e Damian), que busca analisar a sociedade e seus indivíduos como um todo e a busca pelo conhecimento próprio de forma positiva. As faixas do album demonstram de forma ambigua, os pensamentos e buscas do MC, como se estivesse refletindo em seu quarto, e os problemas e defeitos da nossa sociedade, que em muitos momentos está abaixo do Terceiro Mundo.


O single de apresentação do album Quarto Mundo, com as músicas RUA e CADA UM SABE BEM O QUE QUER, está disponível para download:http://www.materialcorrosivo.com/2009/07/fino-rua-single/.

Projeto Visual: Impactante – Arte: Gesse, Fotos: Rogerio Vieira.

Produção: f-zero, exceto faixas 2 e 4 por Diamantee.


Semana que vem nas Grandes Galerias, por enquanto entre em contato conosco para adquirir o cd: materialcorrosivo@gmail.com

Corres da literatura Marginal


Por: Andre EBNER Silva. 
* Colunista do Blog (
www.literaturaperiferica.blogger.com.br)

A literatura marginal não está de passagem e nem a passeio, né não Dinha?! Veio prá ficar, porque já passou da hora de termos voz, e também letras. Segue abaixo alguns dos corrres da galera até o presente momento. Aviso ao sistema: Estamos em construção, livro por livro! 
Alessandro Buzo, além dos livros publicados, contribui significantemente na cena toda, fazendo kaos com seu boletim, periferiando blog's, entre outros muitíííííssimos corres. De Maio a Abril. Na real, o Buzo deve ser uns cinco irmaos gêmeos. Outro cara que escreve, milita e organiza, e não para nunca, é o parceiro Toni C. Pode crê, só Manumilde. 
Ha ha, hu hu, o Sérgio Vaz é nosso!!! O melhor poeta de todos os tempos. Se não para a ABL, para a gente é. Sem reticências. Salve aos cooperiféricos! 
Por falar em poeta, Allan da Rosa quebra vidraças com seu lirismo negro. A dupla Elisandra e Akins mostra a que veio. Construimos marginalmente, porque somos Dulixo, Du ghetto, da Periafricania, guerreiros que ninguém põe na Maca. 
Atenção, encontramos a cura! Contra o vício da cola, nada melhor que Sacolinha. Vai aprender assim lá com o Ciríaco. Só assim prá essa Sociedade do código de barras não nos colocar de Canto. 
A Mary do Rap versa de dentro do nosso cérebro e chega ao coração de todos. Salve Valdir Couto, família Elo da Corrente e todos os saraus e bibliotecas comunitárias espalhadas pelo Brasil. Haja armamento para a (r)evolução! 
O Ferréz é nosso antimíssel aéreo, disparando rajadas curtas e grossas na elite preconceituosa. E olha que ainda temos Fuzzil hein... 
Por falar em arsenal pesado, olha o pessoal do rap que chega chegando: Crônica, Bill, Gog, Thaíde, Eduardo, entre outros. É um orgulho somar palavras com vocês. 
É isso aí. A todos que não estão aqui, mas que também lapidam palavras afiadas, rimando ação com (r)evolução. Só não vê quem não quer ler. 

André Ebner Silva 
www.vermelho.org.br/hiphop 
www.literaturaperiferica.blogger.com.br 
www..andreebnersilva.blogspot.com 

Salve a Literatura Marginal!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Pelas Periferias do Brasil - Vol III

Pelas Periferias do Brasil VOL III 
Coletânea literária organizada pelo escritor Alessandro Buzo
 
19 autores, 13 cidades, 7 estados 

Lançamento, dia 17/11/09 (19h) na Ação Educativa 
Agende-se !!!!! 


Suburbano Convicto Edições 
Apoio:
 Centro Cultural da Espanha e Ação Educativa.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Cooperifa

Fernando Teatro Mágico e GOG

Salve Todos(as)

Como faço sempre que posso e estou por São Paulo, fui até a Zona Sul, para ser mais preciso no Bar do Zé Batidão onde acontece a 8 anos religiosamente, às 21hs, o Sarau da Cooperifa. Fui acompanhado de minha namorada Stella, que já conhecia o lugar mais nunca tinha ido no sarau. Somente em eventos.Quando chegamos estava rolando uma Mpb como de praxe com Brau Mendonça e Wesley Nóog, procuramos um lugar para sentar e aguardamos o início do sarau. O barato ali é louco, porque do nada vem aparecendo gente e mais gente, que descem o morro, saem dos becos e vielas, homens, mulheres, senhores e senhoras; De tudo que é canto de São Paulo e de outros estados. No caso de ontem tinha até um grupo da Escócia, para vê só qual a pegada do movimento, nem a sentida ausência do idealizador Sergio Vaz foi capaz de diminuir o astral, pois a linha de frente da Cooperifa estava lá com Rose Dórea, Cocão, Márcio Batista, Lú Souza e todos os demais poetas e poetisas dando conta do recado. A noite foi literalmente mágica, a casa cheia, e lá fora uma muvuca monstruosa, fazendo da noite de São Paulo mais poética.

Todos os poetas que sempre comungam suas poesias no Zé Batidão estavam presentes, Fuzzil, Camila, Casulo, Seu Lourival e Dona Edite, Lobão, Dil, entre outros. A noite desta quarta, também contou com a presença do Poeta do Rap Nacional, GOG, direto de Brasília, que fechou o evento junto com Fernando Anitelli do Teatro Mágico, Crônica Mendes do grupo A Família e Gaspar ZÀfrica Brasil, mandando um som que fez quem estava presente se arrepiar; palavras de Preto Will do Versão Popular que me confidenciou após a apresentação.

Só tenho agradecer a essa rapa por receber esse humilde mano da Baixada Santista nesse verdadeiro Quilombo Cultural, para quem acha que na periferia só tem bala perdida a oferecer, ta dormindo de chapéu. A periferia ta transpirando arte, não acredita?? Cola lá semana que vem e confere...


por
Tubarão


Quilombo Cultural

Gaspar Z'Africa Brasil e Crônica A Familía

GOG

Dill

Casulo

N.S.N.

Fuzzil

DeLourdes

Seu Lourival

Preto Will - Versão Popular

Márcio Batista
Tubarão

Lú Souza

F.I.N.O.

Cocão - Versão Popular

Seu Jorge Esteves

Dona Edite

Brau e Wesley Nóog

Fotos por Stella Carvalho

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Função RHK - Itapevi

Fábrica de Asas

“ Adubar a terra
com número e letras
asas e poemas.
Para colher lírios,
cravos e alfazemas.
Agricultor,
o bom mestre sabe,
que espinhos e pétalas
fazem parte da primavera.
Porque ensinar
é regar a semente sem afogar a flor ."

Sergio Vaz

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Dulixo em Ermelino Matarazzo

Salve todos(as)....ontem estive em Ermelino Matarazzo...zona leste de São Paulo...a convite do meu amigo professor e escritor Rodrigo Ciríaco...a atividade aconteceu na EE Jornalista Franciso Mesquita...onde vai rolar a Festa da Primavera e os professores ficaram de desenvolver alguma atividade para ser apresentada durante a festa...Rodrigo escolheu o tema do meio ambiente...e nos fez o convite...então falamos um pouco sobre a questão do lixo...reciclagem como fazê-la corretamente...os alunos desenvolveram então algumas artes com recicláveis que estarão em exposição neste dia...foi muito produtivo e prazeroso...mulecada muito disposta...agradeço a todos alunos do 5º ano B....e ao Rodrigo pelo convite e oportunidade de demonstrar um pouco de nosso trabalho...precisando só chamar...tamo junto.

Tubarão








Parabéns Alessandro Buzo pelo "Diploma de Mérito Comunitário 2008" na Câmara dos Ver. de SP

Tubarão, Buzo e GOG

Dulixo em Cubatão

Neste fim de semana o Projeto Recicle Ideias desembarcou em Cubatão...no bairro de Vila Nova...e com ele a oficina Dulixo....onde mais de 60 crianças puderam ter contato com a arte nem a chuva que insistiu em cair espantou a criançada que ainda assistiu a uma peça de teatro e participaram de um túnel interativo onde receberam informações sobre reciclagem...mês que vem estaremos em Praia Grande...no Samambaia....fique ligado que logo daremos a data e local....tamo junto.





fotos Mariana Munayer

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Overdose

Muita música pra pouco ouvido
Muito ator pra pouca cena
Muito livro pra pouco leitor
Muito filme pra pouco cinema

Muita mão pra pouca obra
Muita genitália pra pouco sexo
Muito modelo pra pouca foto
Muita rima pra pouco verso

Muito partido pra pouco governo
Muito veículo pra pouca via
Muito santo pra pouco milagre
Muito sorriso pra pouca alegria

Muita escola pra pouco ensino
Muita abelha pra pouco mel
Muita ambição pra pouco talento
Muito astro pra pouco céu

Muito prédio pra pouco terreno
Muito repórter pra pouca notícia
Muito remédio pra pouca doença
Muita opinião pra pouca sapiência

Muito palhaço pra pouca piada
Muito sonho pra pouca realidade
Muita conversa pra pouco assunto
Muito baú pra pouca felicidade

Todo mundo quer, todo mundo pode
Todo mundo sabe, todo mundo se sacode
O dia nasce e logo anoitece
Todo mundo diz que faz, mas na verdade nada acontece.
 
 
Leandro L.Rodrigues: Cronista, compositor e pesquisador musical. Sem filiação partidária. Mais textos no blog : http://mandandobrasa.blogspot.com/

domingo, 13 de setembro de 2009

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Dulixo em Cubatão


Dulixo dentro do Projeto Recicle Ideias
Teatro...Brincadeiras...Oficinas...
Dia 12/09 - Vila Nova - Cubatão .
na Praça Januário Esteves de Lara Dantas, Junto ao Clube Recreativo da Vila Nova.

Vamos chegar...tudo nosso!
 

Cansei ( parte 2 )

Cansei de tanta agonia nessa porra,

Desilusão extrema, sem que ninguém socorra.

Sonhos destroçados embaixo dos escombros,

Porque tanto é suportado nos ombros.

Não é de hoje que o álcool ta presente,

Nos lares das pessoas agindo covardemente.

Destruindo famílias, selando o constrangimento,

Vício incurável se pá outro sepultamento.

Gera lucro, estimula o capital que existe,

Maldição capitalista que o governo permite.

Então cada vez mais enfermos nos hospitais,

Que já era precário se torna mais ineficaz.

Assim como também é a droga  do cigarro,

Prejudica até um feto que está sendo gerado.

Muitos concordam, assinam a situação,

Caminhando pro abismo sem chance de salvação.

Porque desolação é o que realmente sobra,

Picadilha genocida,  maluco o bagulho é foda.

Tem de tudo aqui sobra cena de descaso,

Crianças com sarna, piolho, catarro.

Barriga grande, tipo cheio de lombriga,

Brincando no esgoto 24 h por dia.

Não foi prá escola porque não tinha merenda,

Nem professor, nem cadeira, nem mesa, entenda.

Os gritos que vem da frente do bote,

É o pai embriagado meio dia já de porre.

Disse que bebe prá esquecer as mazelas,

O desemprego, a fome, a vida dura da favela.

Cansei de tanta agonia e ganância,

Cansei de ver o sofrimento das crianças

Cansei de um sonho que não se alcança,

Viver sem esperança, prá que camisa branca.

 

www.cogitasom.blogspot.com

www.myspace.com/fantisolo

fantimanumilde@hotmail.com

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Quer enganar a quem?

Globo aplica o golpe do bilhete (nos moradores de Heliópolis)
por Luiz Carlos Azenha
 
Para quem ainda leva o Jornal Nacional a sério, os distúrbios em Heliópolis, a maior favela paulistana, foram causados por protestos… convocados por um bilhete, que prometia a distribuição de cestas básicas.
 
Um bilhete assinado por Tiras.
 
Que eu poderia ter escrito. Você. O Zé das Couves.
 
A Globo não só apresentou como real essa teoria, como fez uma afirmação cômica, de tão acintosa: “Até agora as cestas básicas não foram distribuídas”.
Vai ver que foram. Taí algo que eu, se organizador de um protesto, não faria diante da polícia, nem das câmeras de TV, nem de repórteres.
É uma versão tão fantasiosa quanto a idéia de que uma pessoa colocaria a própria vida em risco em troca de uma cesta básica…
Como se a morte de uma adolescente de 17 anos, mãe de uma criança, não valesse absolutamente nada. Como se as manifestações não acontecessem dentro de um contexto social. Houve outros episódios recentes de violência envolvendo a polícia em Heliópolis? A polícia pressionava traficantes da região? Além do bilhete, há mais indícios de que se tratou de um protesto organizado? Já aconteceu no passado?
 


Nesse caso, o JN não quis testar hipóteses. Cravou: a culpa é do bilhete.
 
E, assim, parece que tudo caiu do céu. Um infortúnio — a morte da adolescente — seguido de uma manifestação em que pessoas forjaram sua revolta em troca de comida.
Esse jornalismo da Globo não é resultado apenas das ordens superiores, que mandam proteger José Serra descaradamente, seja qual for a situação.
 
É RESULTADO DA DISTÂNCIA CRESCENTE ENTRE OS JORNALISTAS E O MUNDO REAL. As novas gerações de jornalistas, crescidas nos shopping centers da vida, encaram a profissão unicamente como o caminho para a fama e a fortuna. Compromisso com a verdade factual? Com a contextualização das notícias? Com o serviço público? Coisa de dinossauros.
Infelizmente, esse é um processo que se retroalimenta. Quanto mais os jornalistas se distanciam do grande público [isto é, dos milhões de brasileiros que vivem em favelas], mais nos tornamos incompreendidos e incompreensíveis.

Sonho Real - GOG

sábado, 5 de setembro de 2009

Bala Perdida



"Hum...tá com cheiro de milícia que rima com polícia..que responde com malícia na hora da perícia...se a vitima fosse "Patricia"...já tinham feito justiça...mais como a parada foi na favela...é pau no gato sem carícia!"

Tubarão

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Gabriel 470 Street Art


Gabriel 470: Street Art é o nome da exposição que ficará em cartaz Espaço Gabriel 470, de 15 a 30 de setembro, com entrada Catraca Livre. No dia da abertura, vai acontecer Live painting com artistas que participam da exposição, das 16h às 20h.

Nesta exposição o objetivo é apresentar ao público uma amostra das várias vertentes que compõem a Street Art e o Graffiti no Brasil através de trabalhos produzidos por vários artistas, permitindo que admiradores e colecionadores possam entender e usufruir da imensa riqueza de formas, cores e de sua intrincada rede de relações culturais e sociais.

A exposição apresenta uma multiplicidade de técnicas em vários suportes de arte.

Artistas participantes:

GEN - www.flickr.com/photos/gen_iu/

Jorge Galvão - www.flickr.com/photos/jorgegalvao/

Does - www.flickr.com/photos/doeshdv/

Alto Contraste - www.flickr.com/photos/altocontraste/

Cesar Profeta - www.flickr.com/photos/cesarprofeta/

Emol - www.flickr.com/photos/emerson-emol/

Fernando Chamarelli - www.flickr.com/photos/lfchamarelli/

Binho Martins - www.flickr.com/photos/binhomartins/

Rodrigo Obranco - www.flickr.com/photos/rodrigobranco/

Tikka - www.flickr.com/photos/tikka_noturnas/

Zeila - www.flickr.com/photos/z_zeila/

OZI - www.flickr.com/photos/graffitivivo/

Alexandre Anjo - www.flickr.com/photos/anjotk

Virgilio Neto - www.flickr.com/photos/virgilioneto

Cena7 - www.flickr.com/photos/cena7-mpc