segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Lixo do outro, problema nosso!

Sarau na Fundação Casa


Salve todos(as)...sexta feira subi a serra a convite do meu parceiro Jairo do grupo Periafricania...era o último Sarau na Fundação Casa da Vila Maria...Unidade Abaeté...colou junto conosco o Fernando do Sarau da Vila Fundão...mano da hora...várias ideias...nos encontramos na galeria no Largo do Payssandu e partirmos pra missão.Logo que entramos na Unidade demos de cara com um menino que acabava de ganhar a liberdade...ao lado da mãe não continha a felicidade...desejamos boa sorte e fomos.Na primeira Ala fomos recebido por alguns internos...trocamos algumas palavras e começamos o Sarau...um dos meninos me chamou a atenção por sua poesia...muito boa...pedi para a coordenadora me enviar uma que ele fez...logo mais posto aqui no blog... de repente interrompem o sarau..a liberdade chegou para mais um dos internos...o menino nem acreditou...euforia geral...pra nós muita emoção...despedida...nesse caso sem saudades...tinha um menino que chegou em nós e falou que fazia aniversário ganhou um livro Pelas Periferias do Brasil Vol.III...partimos então para a segunda ala...Jairo da aulas de literatura e rap para essa Unidade pela Ação Educativa...como na outra ala também fomos recebido pelos internos que nos convidaram para uma roda de Capoeira que estava rolando...pedimos licença para o Mestre e caímos para dentro...da hora...milianos que não jogava.Então começamos o outro Sarau...declamamos poesias...trocamos ideias...de final os meninos tocaram um samba pra gente.Alguns deles escrevem...e bem...outros somente curtem ler o que o parceiro escreveu...e outros escutam...mais todos com um brilho nos olhos...de quem por um instante se sente livre para se expressar...cada um a sua maneira...Deus abençoe cada um...nos encontramos pelo mundão...

Tubarão

Vai malandrão...

"O cara morreu e foi pro céu..ai tinha mó fila pra entrar...ele já foi botando mó banca, esbarrando e gritando falou : - Eu sou malandro pô! malandro num pega fila....qualé?! milianos de maladragem vou chegá aqui e ainda vô pegá fila?!...,tá tirando??... dai foi dar um papo no São Pedro...Então Dom Pedro,eu so malandro pô, num vô pegá fila carai! ...ai São Pedro disse: -Ce é malandro memu?! então vamu vê...qual é dessa malandragem toda...diz ai quem matou Abel ?, O malandrão sem hesitar falou: - pô, essa é fácil Pedrão....foi Caim!! Ai 
São Pedro disse : - Então volta pro fim da fila que você num é malandro... é cagueta!!" 

autor desconhecido...pelo menos por mim 


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Dulixo em Vicente de Carvalho

Salve todos(as)....sábado estivemos em Vicente de Carvalho no Guarujá para a última atividade do ano  junto ao Projeto Recicle Ideias....que percorreu vários bairros durante o ano por Santos...São Vicente...Cubatão...Praia Grande....Guarujá....levando um pouco de diversão e informação a vários jovens e crianças...queria agradecer a oportunidade de estar somando junto a esse Projeto ao Instituto Vasco Carmano que nos fez o convite e a todos que passaram por nossas oficinas...espero que em 2010 possamos estar juntos novamente...forte abraço a todos...e o bonde Dulixo não para...quem quiser somar vem com nóis...mais vem de coração!!!

Tubarão














Fotos por Stella Carvalho

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Sacolinhas de Natal

D.Conceição e as Sacolinhas de Natal

Apesar do Natal ser comemorado em todo o mundo a muito tempo...não como se deveria...como uma celebração ao dia do nascimento de Cristo....nem todos podem ter um Natal digno...com uma boa ceia....recebendo e dando presentes...se para muitos já é dificil ter algo durante o ano...no final dele não seria diferente....e quem mais sofre são as crianças...que são "bombardeadas" por todos os lados com propagandas de tudo que é tipo de presentes...Papais Noel aos montes em todos os lugares por onde olharem...e não sabem o porque o bom velhinho não vai passar em sua casa...foi por elas que a 20 anos atrás minha querida Mãe D.Conceição teve a ideia de fazer com que o Natal fosse um pouco mais feliz para algumas crianças aqui pelo Marapé e Morros...saiu pedindo um brinquedo aqui...um saquinho de bala ali...uma roupinha acolá...para amigos e comerciantes...e assim foi aumentando as crianças  presenteadas...chegando a 200 por Natal.
Hoje após 20 anos a coisa é bem organizada...apesar que nossa casa parece mais uma dessas lojas de departamento nessa época....pela quantidade de sacolinhas das mais diversas cores espalhadas pelos cômodos da casa....quase impossível não esbarrar em uma...durante o fim de outubro e começo de novembro começa a aparecer as mães trazendo nomes de crianças...filhos...sobrinhos...enteados...o mais louco é que muitas dessas mães quando crianças já foram agraciadas por esse mesmo projeto "Sacolinhas de Natal"...como minha Mãe mesmo gosta de chamar...cada uma dessas sacolinhas contêm uma roupa completa...um par de meias...um calçado...uma escova e pasta de dente...um brinquedo...doces....pode até parecer pouco...mais o sorriso das crianças ao receber a sacolinha...isso só quem vê sabe o quanto vale.Tudo  é separado por nome...idade...número da roupa e calçado...os papelzinhos são entregues a pessoas que possam...nem todas tem muitas condições...mais tem coração bom e querem contribuir com um Natal mais digno para algumas crianças...graças a Deus temos muitos amigos...e conseguimos por todos esses anos fazer desse projeto um sucesso....agradeço a minha Mãe pela iniciativa e por me ensinar o verdadeiro sentido do Natal e do amor para com meus semelhantes...e todos que por esses longos anos contribuíram para um Natal mais feliz...se não a todos mais uma parte aqui do Caminho Dona Adeláide no Marapé ...Morro da Nova Cintra...Morro São Bento e Morro do Marapé.

Tubarão

Oficinas Dulixo no Guarujá


Amanhã Oficina Dulixo na Praça !4 Bis em Vicente de Carvalho no Guarujá... a partir da 14:00 hs... junto do projeto Recicle Ideias....vamos chegar...tudo grátis!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009



Sublime, grupo de RAP paulistano que tem em sua formação os Mc’s Érry Jota e Rodrigo Mendonça ao lado do DJ Soneka (também integrante do grupo Trilha $onora do Gueto). 
Idealizado no segundo semestre de 2009 o grupo tem uma proposta musical incomum dentro do atual cenário do rap brasileiro, as influências vem da música popular brasileira, do Jazz, Bossa Nova, Samba Rock e o próprio Rap. Trazendo em suas musicas uma roupagem mais musical explorando bem os samplers,  com scratches e colagens que aparecem com freqüência.

E além do time de peso que compõe o grupo é indispensável citar a colaboração do renomado DJ Duck Jam que soma com a gravação, mixagem e masterização das músicas.
 O som do Sublime tem swing, boas rimas e a levada é impar, o que torna o grupo agradável em qualquer ambiente.

E como já dizem por ai: Sublime é Rap e o Rap é Sublime!

  Rodrigo Mendonça e Érry Jota


Ao contrario do que seria natural para um grupo de RAP, o Sublime não pretende lançar um álbum mas um disco multimídia com musicas e faixas interativas para ser exibido também como CD Rom.

Este disco já está sendo gravado e a previsão para lançamento é primeiro semestre de 2010. 
Mas para quem está curioso para saber o que vem por ai o SUBLIME está disponibilizando na rede o primeiro single do grupo “Simplicidade”.

DJ Soneka


Para mais informações, agenda de shows e novidades do grupo acesse o MySpace

Versos

"Se a missão é nobre...tamo junto não importa...se é rico ou se é pobre...paz ou guerra tu que escolhe...seja humilde não esnobe...na justiça do Pai não dos homens...a vitória não vai ter sobrenome!"

"Sozinho no meio da multidão o bicho é feio...tipo ônibus cheio...voce ali no meio...mais todos a sua volta não passam de passageiros...que de sua angustia ficam alheios....não busco somente ser companheiro...quero o amor verdadeiro !!"

Tubarão

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Mães de Maio


- Manifesto pelo Desarquivamento e Federalização das Investigações sobre os "Crimes de Maio de 2006" cometidos por agentes policiais do Estado de São Paulo e grupos de extermínio paramilitares ligados a eles –

ATÉ QUANDO O ESTADO CONTINUARÁ TORTURANDO E MATANDO?

ATÉ QUANDO A POPULAÇÃO VAI TOLERAR EM SILÊNCIO?

 

à População Brasileira e Internacional de forma ampla, geral e irrestrita

à Presidência da República do Brasil, na pessoa do Presidente Sr. Luís Inácio Lula da Silva

à Casa Civil, na pessoa da Ministra Sra. Dilma Roussef

ao Ministério da Justiça, na pessoa do Ministro Sr. Tarso Genro

e à Secretaria Especial de Direitos Humanos, na pessoa do Secretário Sr. Paulo Vanucchi

 

“De aqui, de dentro da guerra, qualquer tropeço é motivo. A morte te olha nos olhos. Te chama, te atrai, te cobiça. De aqui, de dentro da guerra, não tem DIU nem camisinha que te proteja da estúpida reprodução da fome, da miséria, da ínfima estrutura que abafa o cantar das favelas: antigas senzalas modernas. Cemitério Geral das pessoas.”

Poeta Dinha, Parque Bristol, Periferia-SP


Se levarmos a sério tudo aquilo que o conceito de “democracia” promete, o Brasil obviamente nunca concluiu sua “transição democrática”. Muito pelo contrário. Quem vive nas favelas e comunidades periféricas do país, sabe na pele o quê isso significa. Vivemos num país cada vez mais dividido por um abismo entre duas classes de pessoas: aquelas que são consideradas “seres humanos portadores de direitos” porque têm mais dinheiro e, via de regra, tem a pele mais clara; e aquelas “pessoas que não são consideradas sequer seres humanos”, tratadas como bicho por terem a cor da pele quase sempre mais escura, não terem dinheiro e. quando muito, terem um emprego precário, podendo desse modo serem descartadas e massacradas pelo sistema que, sob sua lógica, as pode substituir com facilidade. A essa imensa maioria das pessoas, até para que elas permaneçam sendo exploradas ao máximo, é aplicado o Terror.

Um Terror cotidiano que tem na falta de condições mínimas para uma vida digna, por um lado e, por outro, no poder repressivo da polícia e de agentes paramilitares ligados ao estado, duas faces da mesma moeda da opressão. Uma opressão que se concretiza das mais diversas formas, concentradas ou difusas, em especial contra a juventude pobre e negra do país. Práticas que, cada vez mais, têm culminado em torturas cotidianas, encarceramento em massa, e seguidas execuções sumárias. Uma pesquisa recente divulgada pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos, UNICEF e Observatório de Favelas, no dia 21/07/2009, afirma que, se as estatísticas permanecerem como estão, mais de 33,5 mil jovens terão sido executados no Brasil durante o curto período de 2006 a 2012. Os estudos ainda apontam que os jovens negros apresentam risco quase três vezes maior de serem executados em comparação com os brancos.

 

Os Crimes de Maio de 2006

 

Pois mal: foi neste contexto que, durante o mês de maio de 2006, no Estado de São Paulo, policiais e grupos paramilitares de extermínio ligados à Polícia Militar promoveram um dos mais vergonhosos escândalos da história brasileira. Em uma cínica e mentirosa “onda de resposta” ao que se chamou na grande imprensa de "ataques do PCC", foram assassinadas no mínimo 493 pessoas - que hoje constam entre mortas e desaparecidas. A imensa maioria delas - mais de 400 jovens negros, afro-indígena-descendentes e pobres – executados sumariamente. Sem dúvida, o maior Massacre da história brasileira recente.

São centenas de mães, milhares de familiares e amig@s que tiveram, no intervalo de pouco mais que uma semana, seus entes queridos assassinados covardemente, e até hoje seguem sem qualquer satisfação por parte do Estado brasileiro. Os casos permanecem arquivados sem investigação correta para busca da Verdade dos fatos; sem Julgamentos dos verdadeiros culpados (os agentes do estado e seus outros braços armados); sem qualquer Proteção, Indenização ou Reparação por parte das instituições que tiraram os seus jovens. Um estado que ainda insiste em sequestrar também o sentimento de Justiça dessas famílias.

Desde então, por meio de muita luta - sobretudo das Mães e Familiares de Vítimas à frente dela - um primeiro e importante desafio já vem sendo superado: a censura nos grandes meios de comunicação, e a barreira do desconhecimento. Hoje, passados três anos e meio desde os terríveis Crimes, milhões de pessoas ao redor de todo o Mundo já sabem o quê realmente aconteceu naqueles trágicos dias. Entretanto, muitas ainda precisam saber, principalmente aqui no Brasil, onde o massacre aconteceu, e onde a marcha fúnebre prossegue com o desconhecimento ou conivência de muitos.

 No dia 15 de outubro de 2009, a Anistia Internacional enviou uma nota a todas as instâncias do Estado brasileiro, na qual repudia o absurdo arquivamento da imensa maioria dos casos que se multiplicaram nas periferias de São Paulo a partir de maio de 2006, ressaltando estar atenta em relação à impunidade que vigora até o momento, e atenta também ao futuro das investigações e providências. Há poucos dias, no início de dezembro, novamente em visita ao Brasil, representantes da AI voltaram a destacar e se solidarizar com toda a luta das Mães e Familiares que, segundo a entidade internacional, sofrem uma "dupla-violência”: além de terem perdido seus filhos de maneira brutal por parte de agentes do Estado, ainda têm renegado o seu legítimo direito à Verdade e à Justiça, sendo obrigadas muitas vezes a conduzir elas mesmas as investigações - sem nenhum suporte, reparação, e sequer a garantia da própria Vida. A Anistia Internacional também volta a exigir o desarquivamento dos casos.

 

Desarquivamento e Federalização

 

Agora é preciso dar novos passos, e superar novas barreiras simbólicas, políticas e jurídicas. Esta petição, lançada pelas “Mães de Maio” às vésperas do Dia Internacional dos Direitos Humanos de 2009, tem como objetivo geral exigir o mínimo que as pessoas com alguma decência e dignidade podem fazer diante de brutalidades como esta: manifestar seu Repúdio e reivindicar Justiça! Mas tem um objetivo específico muito preciso: exigir do Poder Executivo Nacional que este faça cumprir a Constituição Brasileira, a qual vem sendo constantemente vilipendiada pelos Poderes Judiciário e Executivo do Estado de São Paulo – de alguma maneira implicados politicamente com os referidos Crimes de Maio de 2006, sobre os quais cobramos Justiça.

Sabemos que uma sociedade realmente democrática não se constrói sem encarar todo o seu Passado, sem assimilar toda sua Verdade Histórica. Sabemos que isso não é fácil, e que no Brasil há uma blindagem pesada feita pelas elites civis e militares para que isto não aconteça. Entretanto, diante de todo este poder opressivo imposto pelo dinheiro, pelas mídias e pelas armas, nós que abaixo-assinamos esta petição não nos intimidamos.

Estamos absolutamente convictos de que não construiremos uma sociedade Justa, Igualitária e, sobretudo, Livre, sem fazer todas as devidas reparações históricas. Mais que isso: seria impossível dormir com a consciência tranqüila se nos calássemos, nos omitíssemos ou, pior, se colaborássemos para a manutenção desta situação. Tampouco atingiremos os nossos ideais coletivos, nacionais e internacionalistas, sem exigirmos a punição dos responsáveis pela sucessão de crimes históricos cometido pelas elites e por seus agentes incrustados no Estado brasileiro, de forma direta ou indireta. Principalmente aqueles altos responsáveis pela sucessão de Massacres que marca a nossa História. Sem o julgamento e a devida punição de todos os responsáveis por estes crimes inomináveis, a sociedade brasileira na prática continuará dando aval para que eles sigam ocorrendo, sobretudo contra a juventude pobre e negra do país.

A luta pelo Desarquivamento e pela Federalização das investigações sobre os Crimes de Maio de 2006 se insere nesta tradição de resistência de tod@s @s oprimid@s que lutaram e lutam pela Memória, pela Verdade e por Justiça, em relação a todos os massacres históricos. Não apenas as vítimas e familiares dos Crimes de Maio de 2006 agradecem o apoio a este manifesto, mas todas as vítimas diretas ou indiretas do Massacre de Canabrava (2009), do Complexo do Alemão (2007), da Baixada Fluminense (2005), da Praça da Sé e de Felisburgo (2004), de Eldorado dos Carajás (1996), da Candelária e de Vigário Geral (1993), do Carandiru (1992), de Acari (1990), da Ditadura Civil-Militar (1964-1989), e de todos os massacres históricos contra trabalhadoras e trabalhadores pobres, negros e indígenas ocorridos ao longo da história brasileira.

 

NOSSA LUTA POR JUSTIÇA HISTÓRICA É UMA SÓ!

 

E, neste momento, neste manifesto: a Luta é por Justiça frente aos Crimes de Maio de 2006!

 

EM DEFESA DO DESARQUIVAMENTO E DA FEDERALIZAÇÃO DAS INVESTIGAÇÕES SOBRE OS “CRIMES DE MAIO DE 2006” COMETIDOS POR AGENTES MILITARES DO ESTADO DE SÃO PAULO E GRUPOS DE EXTERMÍNIO PARAMILITARES LIGADOS A ELES. 

07 de Dezembro de 2009,


ASSINAM ESTE MANIFESTO:


MÃES DE MAIO


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Correria 2009

Sarau da Cooperifa

Debate

GOG - Tubarão - Pretto Will - Ellen Oléria

Preto Will - N.S.N. - F.I.N.O. - Tubarão - Gaspar

Robson Canto - Rodrigo Nonato - Tubarão

Arte em Ermelino Matarazzo - Mesquita é nóiz!

Poesia no Itaim Paulista

Lançamento do Livro Pelas Periferias do Brasil vol.III

Sarau Caiçara - Santos

Buzo - Criolo Doido - Tubarão - Lançamento Profissão MC O Filme

II Mostra Cooperifa

21º Favela Toma Conta - Ribeirão Preto

Gog - Tubarão - Márcio Batista 
 Sarau da Cooperifa

Projeto Recicle Ideias 
Oficinas Dulixo

Jairo Periafricania,Crônica Mendes A Família,
Tubarão Dulixo,Dário Porte Ilegal

King Nino Brown e Tubarão 
Ação Educativa

Suburbano no Centro - Intervenção Poética

Tubarão e Nariz
Gravação Patrimônio Ecologia

Sammy Brown - Ylsão Negredo - Tubarão

Rinha dos MC`S

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Cubatão tem coleta de lixo seletiva?

Não! Porém, ontem (30/11), em entrevista ao Programa Ação e Reação, comandado pelo apresentador Augusto Capodicasa, o Secretário de Meio Ambiente de Cubatão, Vanderlei Oliveira, após ser indagado se a cidade já fazia coleta seletiva de lixo, respondeu que “fazemos coleta seletiva”.

Este secretário devia se envergonhar em declarar uma coisa desta, mentir, tergiversar. Quem mora em Cubatão sabe muito bem que não existe coleta seletiva na cidade. Ou alguém já viu caminhões da Prefeitura circulando pela cidade realizando coletas seletivas? Ou Postos de Entrega Voluntária (PEVs) espalhados pela cidade, públicos, com quatro reservatórios de cores diferentes para despejo de vidro, plástico, papel e latas?

Aliás, nem nos parques ecológicos do município têm coletores coloridos para a seleção de material, basta visitar o Parque Ecológico do Perequê, o mais concorrido da cidade, para constatar com os próprios olhos.

Por outro lado, no mesmo programa, o secretário defendeu a instalação de incineradores de lixo na região. Será que ele pensa construir esta usina em Cubatão?

Não há usinas de queima de lixo limpa, sustentável, responsável, com tecnologia de ponta para controlar os níveis de contaminação ambiental e os impactos negativos à saúde das pessoas, dos animais e da natureza.

Neste tema parece que o secretário defende o seu “próprio pão”, afinal ele é empresário, um dos proprietários da RTA – Engenharia e Ambiental, que trabalha no ramo dos resíduos industriais, do “capitalismo verde”, do “eco-negócios”.

E pra piorar, o secretário, no mesmo programa, também defendeu a instalação de indústrias navais (estaleiros), em áreas de proteção ambiental (manguezais), na região estuarina de Cubatão-Santos, num local já saturado pelas movimentações do Porto de Santos.

Mas, convenhamos, o secretário é coerente no que diz, defende seus interesses e de seus pares, pois antes de ser Secretário de Meio Ambiente, ele era Diretor de Indústria, Comércio e Porto da Prefeitura de Cubatão.

E vejam que “curioso”. No começo do mês de novembro, a prefeita Marcia Rosa (PT) e o presidente da Usiminas, Marco Antonio Castello Branco [foto em anexo], ambos aos sorrisos, se encontraram na cidade para “firmar parcerias sociais e ambientais”.

O tragicômico nesta história, a Usiminas Cubatão (ex-Cosipa) é uma das indústrias mais poluidoras da região, a campeã disparada no estado de São Paulo em emissão de CO2, o dióxido de carbono, um dos principais gases do efeito estufa, do aquecimento global, entre outros poluentes que ela lança na atmosfera e no mar da Baixada Santista. Não é à toa que, historicamente, esta empresa é uma das mais multadas pela Cetesb (agência ambiental paulista).

Poderíamos levantar várias outras relações “eco-promíscuas”, mas para bom entendedor, um pingo já basta, ou este é só um retrato 3x4 das “autoridades ambientais” de Cubatão, sempre bem, mas muito bem intencionadas, assim como as grandes indústrias do município, com seus projetos “sociais e ambientais”.

Moésio Rebouças

“Tem ecologista que é verde por fora, mas podre por dentro”

Anônimo

Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente

Krishnamurti

"É triste não ter amigos? Ainda mais triste é não ter inimigos, porque, quem não tem inimigos, é sinal de que não tem: nem talento, nem caráter, nem coragem, nem honra..."

Voltaire

Black Ragga