sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Caminhada Anarcoecológica: "Um manifesto contra todo lixo"

Confira entrevista concedida a ANA (Agência de Noticias Anarquistas) pela eco-libertária Juliana Vargas do Amaral, de Osasco (SP), sobre a "Caminhada Anarcoecológica".

Agência de Notícias Anarquistas > Que história é essa de "Caminhada Anarcoecológica"? Como surgiu essa idéia? Quem participa?
Juliana Vargas do Amaral < A caminhada é um manifesto contra todo lixo que os candidatos produzem em suas campanhas, alguns, inclusive, que fazem promessas pela saúde e contra a poluição. A idéia surgiu há dois anos, nas últimas eleições presidenciais. Eu morava numa cidade onde a lei pelos mananciais é bem rígida, mas o que via era lixo em toda parte, inclusive em áreas protegidas. Na época, não pude tocar o projeto para frente, mas mantive a idéia para essas eleições. As pessoas que participam são totalmente voluntárias, amigos que concordam comigo. Nós saímos pelas ruas pegando santinhos dos políticos e colocando em sacos de lixo, que serão entregues na prefeitura no dia das eleições.

ANA > Mas acontecerá alguma coisa especial na entrega do "lixo eleitoral" na prefeitura, algo como uma performance? Manifestação?
Juliana < Tenho algumas idéias, mas vou esperar os outros falarem também. Como a Caminhada pode acontecer em diversos pontos, a entrega não será em apenas uma prefeitura. Em cada lugar, as pessoas se responsabilizarão pela entrega, e preciso conversar com as pessoas que entregarão em Osasco antes de definir o que faremos.

ANA > E vocês já organizaram alguma Caminhada?
Juliana < Sim, a primeira aconteceu dia 30 de agosto, em Osasco, onde moro. Saímos da estação de trem, passamos por ruas movimentadas, onde a distribuição de santinhos é grande e por ruas onde os comícios são comuns.

ANA > E vocês abordam os transeuntes com algum folheto, mensagem?
Juliana < Quando vemos que alguém está com um santinho, tentado a jogá-lo, nós pedimos para colocá-lo dentro do saco de lixo e explicamos o que estamos fazendo. É nossa mensagem, porque distribuir panfletos seria totalmente contraditório. Para as pessoas, nosso ato "não faz diferença alguma" ou "existe gari para isso". Nem todos percebem o que queremos passar.

ANA > A Caminhada Anarcoecológica, além do viés ecológico, também tem uma conotação "anti-eleições"?
Juliana < Tem sim! A principal conotação é "anti-eleições". O voto obrigatório é ridículo, é a forma de eles nos obrigarem a "exercer nossa cidadania". As pessoas estão cansadas de perder seus domingos com o direito (?) de ser afundar mais. Como diz minha mãe, a política só vai se tornar boa quando os políticos não receberem nada pelos cargos, como num trabalho voluntário.

ANA > E nessa primeira Caminhada, não rolou nenhum tipo de entrevero com os comissionados "distribuidores de panfletos" dos partidos? Dias atrás um grupo de estudantes apanhou e foi expulso pela tropa de segurança do PT, numa universidade de São Bernardo do Campo, quando protestavam contra o barulho, o "lixo sonoro", de um comício do PT dentro de um auditório da universidade.
Juliana < Não rolou nenhum problema dessa vez. Não são os comícios ou os santinhos que vão dar votos a esse ou aquele político, o que se vê são as pessoas reclamando de tanto barulho e bagunça. Só os partidos não percebem isso, porém são poucos os que têm coragem de protestar, por isso são tão reprimidos. Só teremos problema se nosso "direito de cidadão" de ir e vir e nosso "dever" de manter a cidade limpa for algo proibido durante o período eleitoral. Afinal, temos horário certo para colocar nosso lixo fora de casa para ser recolhido, caso contrário somos multados. Por que os candidatos não são multados também?

ANA > E há um calendário de outras ações?
Juliana < A próxima acontecerá dia 13 de setembro. Queremos fazer uma caminhada a cada 15 dias, até o dia das eleições. É claro que, se mais pessoas se interessarem, podem fazer suas próprias caminhadas.

ANA > Quer deixar um recado para finalizar?
Juliana < Só quero dizer que as pessoas têm a opção de continuar como estão, reclamando e votando, sabendo que, não importa o partido ou a promessa, nada será feito e nada mudará por parte dos governantes. Os verdadeiros governantes somos nós, mas não sabemos o ser porque o único "direito" poder que usamos é o de escolher quem vai nos controlar pela vida toda, com a ilusão de que será por apenas 4 anos.
A outra opção é nos unirmos e agirmos; pararmos de simplesmente reclamar. Não é a Caminhada que vai mudar o mundo, e sim, os atos de todos os dias, os boicotes, os manifestos... Reclamar é fácil e é o que todos fazem. Nossa idéia é simples, mas é assim, de pouco em pouco, que conseguiremos mudar. Sei o quanto as pessoas são acomodadas e preferem não agir, pois só acreditam nas próprias derrotas. Cada passo nosso durante a caminhada é uma derrota a menos.

3 comentários:

porco punk disse...

Só para constar, a concentração dessa caminhada acontecerá em frente a estação Osasco de trem as 14:00.

Atomic J. disse...

Meninos, obrigada pela força!
Abraços!


E aproveitando, a próxima Caminhada de Osasco será dia 27!

Leza disse...

Putz tem um roteiro programado, porque eu trampo aos sábados até as 14hs ai vou chegar um pouco atrasado, se alguém puder me informar meu messenger é contatoleza@gmail.com

abraços!