sexta-feira, 15 de abril de 2011

Cai lágrimas...

assim que queremos lembrar de voce...sorrindo

Salve todos(as)....é com lágrimas nos olhos que relato um momento que não gostaríamos que fosse verdade...mas se Deus quis assim que seja feita sua vontade...terça feira dia 12/04/2011 rolou o Sarau Suburbano Convicto no Bixiga...até ai tudo normal só idéias de progressos...como sempre faço caminhei até esse tradicional bairro de São Paulo para comungar a poesia com várias pessoas...já que o sarau cada dia ou melhor noite se firma como um lugar onde podemos ter contato com um pouco de cultura.Diferente de outras vezes levei 3 poesias em meu bolso...e trocando ideias com meu parceiro Emerson Alcalde falei que ia fazer uma poesia de um parceiro de grande talento da minha quebrada em Santos...saquei a letra e mostrei a ele...foi com grande surpresa que ele me disse que a conhecia e sem mais nem menos começou a cantarolar a música...na hora brotou um sorriso em meus rosto de satisfação em saber que a poesia do "neguin" tinha ecoado longe...já que esse parceiro é de Cangaíba extremo leste de SP e nem costuma curtir funk...o que me deu mais força para declamar essa poesia.Quando meu parceiro Alessandro Buzo chamou meu nome decretando minha vez de declamar...pedi a atenção de todos e disse que naquela noite....que não por acaso chovia muito...que faria a poesia de um parceiro de enorme talento da Baixada Santista...que passava por algumas dificuldades e que gostaria que todos mandassem vibrações positivas a esse mano e que a arte ainda o resgataria...mandei então.....Lágrimas....com um nó na garganta....tentando segurar essas tais lágrimas que insistiam em cair...com muito esforço e a voz embargada consegui completar e no final revelei a autoria....DUDA do MARAPÉ.....que naquele mesmo dia partia desse mundo tão egoísta e muitas vezes sem sentido....para cantar em um outro lugar...e quem sabe bem melhor que aqui.Foi quando na quinta-feira recebo um telefonema de um parceiro meu da Baixada me dizendo do ocorrido...fiquei em choque...sem palavras... e mesmo dentro do busão não pude conter as tais lágrimas que tinha segurado durante o sarau...entendi o porque daquele sentimento naquela noite...entendi o porque de tanta chuva naquela noite...não acredito em coincidências...e sim em sintonia...era o "neguin" se despedindo...era Deus chorando mais essa ignorância do ser humano.Só peço ao Pai que dê um bom descanso a esse talento monstro...e que nós sentiremos muito a falta de suas rimas...risadas...loucuras...fica em paz "neguin" ao lado direito do Pai.

Tubarão

4 comentários:

vato disse...

Que fita ei tuba!!! .... uma srobadinhas da vida ms eii salve guerreiro domingão vamo ta chegando no bang !! salveee

Jotaerre®Art Design disse...

SEM PALAVRAS ATE AGORA...MAIS COMO ELE DIZIA..."DEUS SEMPRE VAI EXALTAR...AKELES QUE NASCERAM PARA REPRESENTAR"
ACABOU O SOFRIMENTO DE UM IRMÃO NOSSO..POR OUTRO LADO...COMEÇA O NOSSO SOFRIMENTO...A SAUDADE DAKELE NEGUIN QUE TOCAVA EM CASA..SOMENTE PRA CANTAR UMA MUSICA NOVA...PRA SABER O QUE EU AXAVA DELA...COMO SEMPRE POESIAS...EMBALADAS AO RITMO DO TAMBORZÃO...SEI QUE ELE ESTA EM PAZ....

CALARAM A VOZ...MAS NUNCA APAGARÃO AS IDÉIAS E IDEAIS...

EDUARDO ANTONIO LARA "DUDA DO MARAPÉ"

*28-05-1988 - + 12/04/2011

Alcalde poeta disse...

Essa idéia foi quente mesmo, mano. Quando ouvi esse som vi que era possível com o funk fazer uma boa letra. E quando o Tubaração falou que conheci o Duda desde moleque fiquei impressionado. Os moleques daqui cantam direto essa música. nas escolas onde dei aula. Nos celulares no último vagão do trem sentido Calmon Viana. Porrao mano se foi, mas nada é em vão. Acredito em SINTONIA também. Ele se despediu naquela noite chuvosa e lá ele foi invocado e mostrado para um outro público que ão ouviria funk, mas ouviu a sua poesia. Descanse em paz mano.

Banca dos B-Boyzz disse...

pow Tubarão, q história... o ser humano acaba quando a gente num puder mais chorar, e ainda vamos chorar muito enquanto + gente não se envolver com as dificuldades, se emocionar com tristezas e alegrias dessa nossa gente. e das outros povos, esses q estão em guerra - a poesia é a verdadeira construção da paz. o poeta as vezes tomba no concreto, sua poesia fica e voa, e voa mais e mais.
abraço forte, tamujunto.
xnd